BIOGRAFIA POÉTICA
Não serei um poeta dos ventos da cidade.
Não serei o poeta de uma vida mesquinha,privada.
O que importa é o tempo,relance de buscas,viagem solícita.
Não pretendo convencer os homens con meus versos bêbados e alegrar a ponta do lápis com palavras-muros.
Não pretendo ficar em casa ouvindo os ruídos dos ratos e cada minuto aspirar o ar poluído do silêncio.
Não pretendo ficar parado com os olhos esbugalhados á frente de um telão multicolorido que prende facilmente.
Importa surrar as pernas á procura de horizontes virgens,na monotonia.
Importa ser mais alto,estudar a filosofia da época e a lucidez do conto.
Importa andar no interior dos lares,onde trabalham as mãezinhas,nos campos semeados,nas usinas fumegantes,nos escritórios e estaleiros.
Não pretendo imitar os moribundos nas calçadas urbanas.
Não pretendo ser um herói de um mundo de memórias fracas.
Só quero fitar os olhos no espelho,pensar num amor impossível e ser apenas um poeta.
SILVA,Robson.