POESIA

Digo-lhe por minha vez e minha voz.
Só posso descrever e não censurar as razões do tempo justiceiro.
Antes era despido,agravado me vi.
Sendo moço,um sol nasceu,como flor que floresce nos 1183794169canteiros,versando na memória.
Renasci,varrendo as panteras,hienas e chacais da ignorância metamorfósica.
Busco uma rosa,não a rosa que nasce entre os espinhos de uma planta raquítica e venenosa.
Vivo o tempo presente,sonhando pelo menos meia hora,que flutua em véus brancos de prazer.
 
SILVA,Robson.
 
 
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s