Vidas

 

Vidas, tantas vidas, deprimidas, esquecidas, varridas pelo tempo. Tempo amigo. momentos doloridos.

Nos hospitais, exemplos reais, banais. Nos corredores, estendidos, gente ou figura de gente. Tratamento “VIP”, valores escorridos, partidos.

Gente em sua função, função de gente. Cada caso é um caso.

Homem elegante passa, amaciando o bolso da calça, olha e diz no olhar: já fiz minha parte. Jeito ou arte!O que achaste?

Em sua elegância recebe um tchau de uma garota marota ou rota, solta.

 

O que é que há? Sentes a pressão?É o nosso mundão. Acreditas ou não?

Imediatamente, passa uma senhora, copo na mão com água, matar a sede de alguém, sem desdém, há muitas outras sedes também.

 

       Vida ou vidas, ás vezes esconde-se em si mesma. Parece,mas não aparece,esquece.

Espera, espera,  recupera-se.Parece eterno. Continuam as mazelas, pássaro na cela, meninos na favela.

Alegria ou dor. O vai e vêm de gentes diferentes, inconseqüentes, presos em mente.                                                                                                                              

Passos descalços, num emaranhado de traços, riso falso. O que faço num pedaço onde  finjo estar tudo normal?

Pessoas,múltiplas personalidades.Diferentes casos.

Vejo a luz fugindo dos olhos das pessoas. Última luz no fim do túnel.   

A vida teima em ser cruel e dura.    

Vida que surge como um raio de sol  brilhante num amanhecer reluzente.Onde há diálogo entre os elementos que constitui a natureza,o mistério e a beleza da criação.

                     AUTOR: Silva,Robson.