poesia

Incivilização da Leitura
 
Livros,tantos livros,folhas caídas,mundo que "fala",voz oculta.
És sistematizado,ilustre,figuras e cores.
Multicores,superficial,sinais.
Você procura embasar-se descarregando no sistema,desvia,causa, enoja a visão dele e busca aquilo,sem enaltecimento.
Ele lhe chama,traz gratuidade,força viva.
Você caminha sem direção,ama o fácil,despreza,não intervém,segue passos de tolo numa rua escura.
Dentre este,existe tantos que se dispõe,se eleva,espera,está presente até na ausência.
Pobre livro,conjunto de folhas riscadas,sem aquele olho curioso da essência,imagem roubada,sem valor e sem nada.
Talvez falte o gosto ou a ignorância sopra-lhe o resto,corroendo seus espaços,devaneio.
Não é possível que no seu eu interno,sentem-se amarguras,lágrimas, ir ao encontro da voz oculta desse pobre livro incivilizado.
 
Silva,Robson.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s