Chuang-Tzu e Hui-Tzu
atravessavam o rio Hao pelo açude.
Disse Chuang: – “Veja com os
peixes pulam e correm tão livremente. Isto é sua felicidade.”
Respondeu Hui: – “Desde que
você não é um peixe, como sabe o que torna os peixes felizes?”
Chuang respondeu: – “Desde que
você não é eu, como é possível que saiba que eu não sei o que torna os peixes
felizes?”
Hui argumentou: – “Se eu, não
sendo você, não posso saber o que você sabe daí se conclui que você, não sendo peixe,
não pode saber o que eles sabem.”
Disse Chuang: – “um momento. Vamos
retornar à pergunta primitiva.”
“O que você me perguntou foi “como
você sabe o que torna os peixes felizes?”
Dos termos da pergunta, você sabe
evidentemente que eu sei o que torna os peixes felizes.
“Conheço a alegria dos peixes
no rio, através da minha própria alegria, à medida que vou caminhando à beira
do rio.”

                                               Autor desconhecido
postado por Robson Silva