VISÃO SURREAL

Sonho em longínquas praias a àgua branca de espumas lançadas em correntes e torrentes.
Avisto surgir palavras imensas mortas,sem saída na travessia.
Chego à margem contrária,submetido a uma inquietação.
Ao longe vejo um barco com segredos,de certo,com coisa nenhuma.
Fico inerte,envolvido pela estranheza da fúria do mar,aumenta os rastros na areia.
Do alto nasce uma figura facial.Talvez um prócer pretenso ou um guia auxiliador que procure desvendar uma visão muito além dela.
Admirado perco a sensibilidade,flutuo,adormeço.
Vi que importa calmaria nos momentos venenosos do que panicidade inútil.
                                                             Robson Silva.Meus sonhos traduzidos em palavras.