POESIA

METAMORFOSE

 

Fecho
os olhos diante de mim
Abro-os
para ti
Procuro
enxergar-me além
Tua
imagem doce e espontânea
Envolve-me
completamente
 
Teu
olhar já não me é estranho
Com
suas mãos pequenas e afáveis
Toca-me
o fundo da alma
Deleite
singular, êxtase de águas cristalinas
Entrego-me
aos teus encantos
 
Invade
meu ser sem dar respostas
Carrega-me
nos braços lentamente
Aponta-me
caminhos iniludíveis

não sou o mesmo
Desmonto
pontes inseguras.
 
O dia velho morre,nasce um novo dia
O sol invejoso esconde seu rosto
Na cor operante da poesia
Tudo é diferente e calmo
Novas madrugadas despidas

Do
meu canto renovado
Surgem
melodias nunca contempladas
Espalham-se
por todos os lados
Imensa
gratidão inebriante
Risos
felicitados de um novo ser.
                                   Robson Silva
 
 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s