Professira
Luzinete: apesar da perda, um símbolo da luta de muitos professores



É
lastimável a realidade dos professores de nosso município.

O caso
da professora Luzinete não pode ser visto a partir de um prisma
isolado.

Precisamos perceber que a realidade de nossa colega que
perdemos agora representa também a realidade dos demais professores de
nosso município que se encontram à mercê da exploração de seu trabalho
até o desgaste último de suas forças, enquanto que muitos outros
"professores" encontram-se por aí, à deriva, à disposição de vereadores,
desviados de suas funções prejudicando, com isso, as finanças de nosso
município e acarretando ainda mais os ombros dos demais professores que
se mantém na ativa, muitas vezes até com problemas de saúde e, ao tentar
licença médica, têm dificuldades, enquanto que muitos outros têm
facilidades incríveis para isso.

Os poderosos, ao invés de privar
nossos professores de um direito já garantido em lei (como as
Promoções, Progressões, Mudanças de Referência e Reajuste do Piso
Salarial), preferem nos deixar morrer à míngua, tendo que pedir ajuda a
nossos companheiros solidários em momentos difíceis.

Será que
essas pessoas que nos privam de nossos direitos dormem tranquilos? Será
que não têm depressão? Como será o coração dessas pessoas… ?

A
perda de nossa companheira Luzinete é realmente um símbolo de luta (de
nossa companheira), por um lado, e de desprezo por parte dos poderosos,
que não ouvem o clamor dos professores por melhores condições de vida.

Senhores(as)

professores(as), não deixemos que a perda de nossa companheira Luzinete
se torne um fato isolado e sem sentido maior para nossa categoria.
Nossa companheira precisa ser reconhecida como símbolo de nossa luta.

Jânio Rocha Ayres Teles
Filósofo
Chapadinhense