PEQUENO RETRATO GRÁFICO SINGULAR DA REALIZAÇÃO DE UMA
PROVA… TESTE… EXAME… AVALIAÇÃO… VERIFICAÇÃO DE APRENDIZAGEM

 

Não importa o nome que se dê a esse
momento estanque do tempo.

Fazer uma prova.

 

Em fileiras, os examinados, testados,
avaliados, provados, olham para o pescoço ou cangote ou cachaço ou cerviz do outro__ diversidades de
cangotes: amarelos, negros, cabeludos e pelados, sujos e limpos. Retrato singular.
Olha-se para os lados, vêem-se caras e bocas desfiguradas e consumidas pelo
peso das perguntas, do desafio psicológico.

 

Múltiplos olhares… Múltiplos gestos…
Múltiplos pensamentos… Múltiplas cabeças… Múltiplas escolhas…

 

O silêncio impera. Há barulho somente
dos papéis dialogando com os ruídos involuntários misturados e distraídos
presentes no ambiente.

Pessoas e papéis, silêncio e calor, tensão, alívio imediato.

Em instantes, falta-lhes a precisão das
respostas estarem contidas no espaço sob os questionamentos elaborados.

Busca-se, viaja-se. Tenta-se encontrar o
aprendido ou o decorado. Múltiplos olhares coloridos, compridos, tímidos,
denunciantes e anunciantes.

Ensaia-se um jeito de estar numa
poltrona desconfortável, estressante e angustiante.

 O
aprendido evapora-se, esgota-se, embranquece tudo. O conteúdo ficou. Sua substância
sumiu. O pensamento compatibiliza-se com o papel na cor, na forma, no cheiro__
breve descrição gráfica temporal. Ainda há um vazio.

por: Robson Junior___Observações diárias