A poesia é meu descanso

Que alcanço em meias distâncias

Dentro do tempo busco

Encontrar respostas diárias

Que se confundem consigo mesmas

Respostas naufragadas no medo

Minha vida não é um copo descartável

Que se aproveita em qualquer circunstância

Sou apenas eu e mais ninguém

Sou eu: o perseguidor de respostas

Não me defino, me vejo

Observo o mundo, as pessoas, os movimentos

Os cheiros, a natureza em conflito

As respostas não aparecem, as perguntas imperam

As águas da história dissolvem-se

Meu corpo treme e o coração sente, dança.

                                                                                                                                                                                              Robson Jr.