Assim como o fogo consome o aço;

Assim é o medo em mim.

Medo que abala meu ser inabalado;

Me priva de paixões impossíveis;

Me aprisiona em espaços inexistentes;

Me curva da dor criada sem saber a direção.

Medo de tudo

Me faz perder chances inatingíveis;

Me torna pequeno mesmo sendo grande,

na grandeza ilusória do ser humano

e na pequenez sensata da matéria.

Medo de tudo

De dizer e calar;

De calar e não dizer;

Silenciar quando é preciso;

Ser quando é permitido;

E não voltar a ser.

Me-do do aconhego aconchegante de não sentir medo.

Robson Jr.